29.12.06

Etiqueta: ,

Um velho gramofone... escolhido para ti

Descubro-me entretida a limpar a casa... o telefone toca... e dou por mim a cantarolar pela casa e rodopio agarrada ao gato desafinando a letra que sei que nunca esquecerei...

Fecho os olhos e sou transportada para as raras noites sem luz, quando tudo era invadido pelo som da velha grafonola, onde quase sempre o mesmo disco toca, as rotações mais depressa do que deviam...

Abro os olhos... o meu amor está a aspirar... também ele cantarolando a música que já conhece mas que para ele é apenas uma música antiga. E a minha mente vagueia ao som da voz dele... percorro agora os natais de outrora... deve ser da época do ano. Não sei porquê mas esta música lembra-me sempre o mesmo: família. "Apareço" ao pé da conhecida lareira da casa de tijolo com a família toda junta... são tantos que perco a conta. E penso em ti porque não te vejo lá... não foste à casa de tijolo este ano... senti a tua falta. Sinto muitas vezes a tua falta e desejo que nunca deixes de cantarolar comigo... mesmo que deixes de o fazer com os outros.

Por isso dedico este último post do ano a ti. A ti, a um velho gramofone e ao seu disco. Que esta música, nas suas rotações aceleradas nunca nos deixe. Que nos lembre sempre das horas mais simples e bonitas que passámos... quando a luz faltava... quando não havia nada senão o som dela e as nossas vozes cantarolando...


If you say you love me
Then i'm here to say
It's up to you dear
What do you say

If you're tired of me
Then i'll go today
It's up to you dear
What do you say

You're little darling
Mean all my hapiness
What will i do
If you send me away

You can make my heaven
Either blue or grey
It's up to you dear
What do you say

0 comentário/s:

Enviar um comentário

Obrigado pelo comentário! =)

(Nota: Devido à grande quantidade de spam recebido, a confirmação de palavras foi activada)

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.