19.10.09

Etiqueta:

O nosso "rufia"

No seguimento da história anterior, terei necessariamente de falar no nosso cão-tipo-raposinha-rufia. E porque em ambas a histórias ele é a personagem secundária (lol).

Chamava-se Kurisco e era um cão espectacular. Rafeiro e arraçado de salsicha (mas com as orelhas direitinhas e um rabo mais felpudo) era extremamente inteligente mas um verdadeiro rufia. Ladrava a todos os cães maiores do que ele (que incrivelmente fugiam a sete pés) excepto aos boxers da rua (que não acharam muita piada e lhe deram uma "coça").

Fugiu uma vez de casa e foi passear para o centro comercial (a partir desse dia passou a andar de trela) e foi atropelado quando pequeno e deu 2 voltas em alta velocidade a correr à volta do prédio.


Era um amigo fiel e um cão de guarda excepcional. Parecia que sorria e sempre teve uma adoração especial pela minha avó. Uma vez que ela foi para o hospital e passou lá quinze dias, o bicho mal comeu e vagueava triste pelo quarto dela. E quando ela voltou montou uma guarda tal que ladrava à minha mãe cada vez que ela levava a minha avó ao WC. Outra vez (numa dessas em que fiquei sozinha com ela) acordou-me com lambidelas durante a noite, ladrou-me e conduziu-me ensonada ao meio do corredor onde a minha avó tinha caído e não se conseguia levantar.


Bem... haveria tantas e tantas histórias para contar... viveu até aos 17 anos e foi o melhor amigo canino que tive até hoje.
:-)


3 comentário/s:

  1. E desconfio de que foi um dos melhores amigos de toda a tua vida - caninos e não caninos.

    ResponderEliminar
  2. É verdade Rosarinho! É bem verdade
    :-)

    ResponderEliminar

Obrigado pelo comentário! =)

(Nota: Devido à grande quantidade de spam recebido, a confirmação de palavras foi activada)

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.